Outubro 20, 2017

Brasília

Leo PinheiroO ex-presidente da OAS Léo Pinheiro confirmou, em depoimento ao juiz da Lava-Jato no Paraná, Sérgio Moro, que o ex-senador Gim Argello (ex-PTB-DF) lhe pediu para doar dinheiro á Paróquia São Pedro, em Taguatinga. De acordo com fontes presentes ao depoimento, que acontece na tarde desta terça-feira (13/9) em Curitiba, os valores faziam parte de propina paga ao então vice-presidente da CPI mista da Petrobrás que funcionava no Congresso em 2014.

Leo Pinheiro pede interrogatório para explicar propina a Gim ArgelloJuiz Sérgio Moro vai julgar casos de peemedebista Eduardo CunhaEx-AGU busca os 'holofotes' da Lava-Jato, diz Eliseu Padilha

De acordo com documentos obtidos pela Operação Lava-Jato, a Paróquia recebeu R$ 350 mil da OAS. Gim Argello confirmou a Sérgio Moro que pediu o dinheiro para o executivo. No entanto, negou que se tratasse de suborno para proteger empreiteiros na CPI – acusação a que responde em uma ação penal do Ministério Público.

A OAS também pagou R$ 2,5 milhões ao diretório nacional do PMDB em 2014, sendo R$ 1 milhão oficialmente e R$ 1,5 milhões de caixa 2. No depoimento, Leo Pinheiro disse que fez a doação de caixa 2 ao ministro do TCU Vital do Rego, ex-presidente da CPI mista da Petrobras, e de R$ 1 milhão ao deputado Marco Maia (PT-RS).

Do CorreioWeb.

United Kingdom Free Bets Bookmakers
Revew WillHill Here 100% bonus

Ladbrokes check here

Review Betfairclick here bonus